segunda-feira, 20 de abril de 2015

A experiência de Emaús

Sierger Koder

E quando Se pôs à mesa, tomou o pão, recitou a bênção, partiu-o e entregou-lho. Nesse momento abriram-se-lhes os olhos e reconheceram-n’O. Mas Ele desapareceu da sua presença.
Disseram então um para o outro: «Não ardia cá dentro o nosso coração, quando Ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?» Levantando-se, voltaram imediatamente para Jerusalém e encontraram reunidos os onze e os seus companheiros, que lhes disseram: «Realmente o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!» E eles contaram o que lhes tinha acontecido e como Jesus se lhes dera a conhecer, ao partir o pão. (do Evangelho de S. Lucas)

A experiência de Emaús

Ao ler este texto e os acontecimentos narrados pelos discípulos de Emaús, retomo a lembrança das aleluias da noite Pascal, que marcaram com emoção o momento do Glória. Faço desse momento “memória agradecida!” (E.E. Inácio de Loiola).
Sim, Jesus Ressuscitou, está vivo em mim, está vivo nas pessoas que me rodeiam, habita na minha casa, nas ruas da minha cidade… Mora em cada realidade da minha vida!
Como os discípulos faço experiências de desilusão e de falta de fé, mas também de caminhar na presença do Senhor Ressuscitado e de O tocar naquilo que penso e vejo, naquilo que faço e amo e… particularmente de me deixar tocar pelo afeto e pelo Mistério reconhecido simplesmente pelos sinais.  Fecho os olhos por momentos e tudo faz sentido. Tomo consciência que, desde sempre, Jesus se faz presente no meu caminho, tornando-o mais suave. Sinto agora o toque de cada bênção recebida porque nela, é Ele que se Dá. É Ele que me convida a refazer o caminho de Emaús.
No regresso…recolho a luz ténue do dia que termina e peço a graça de um olhar purificado, sobre cada realidade que me rodeia, porque Ele, o Senhor, renova tudo o que em mim perdeu a vida, fortalece todas as incertezas, acalma todos os medos, dá sentido a todas alegrias.

  E, neste Senhor que assim se inclina para se dar em Alimento, eu sei que posso confiar e confiar-me  dizendo: Meu Senhor e meu Deus! Assim me encontras hoje, agradecida…  





terça-feira, 14 de abril de 2015

Na Páscoa dá-se a passagem...


“Porque buscais entre os mortos aquele que Vive?"(Lc 24, 5)

"Na Páscoa dá-se a passagem tão desejada. Passar do medo à confiança. Da separação ao encontro. Do ressentimento ao perdão. Da fraqueza do pecado à fortaleza da Graça. Passar das lágrimas tristes à profunda Alegria. São estas as passagens mais dramáticas da vida. E as mais promissoras... 
Se o grão de trigo caído à terra morrer produzirá muito fruto, não habita no sepulcro a vida que se dá..." 
P. José Frazão, s.j.        


quarta-feira, 1 de abril de 2015

Assim me constranges, Senhor


E se desejas que seja eu a falar agora, 
não, que não sou mais dono da minha boca;
igual a uma ferida, ela quer apenas fechar-se
e as minhas mãos ficam caídas ao longo do corpo
como cães surdos a todo e qualquer apelo.

Assim me constranges, Senhor, a um tempo alheio.

Rainer Maria Rilke