segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O Hoje e as flores...

Todas as pessoas grandes já foram um dia crianças, mas poucas se lembram disso. (Exupéry)

sábado, 18 de setembro de 2010



Os dias de verão

Os dias de verão vastos como um reino
Cintilantes de areia e maré lisa
Os quartos apuram seu fresco de penumbra
Irmão do lírio e da concha é nosso corpo

Tempo é de repouso e festa
O instante é completo como um fruto
Irmão do universo é nosso corpo

O destino torna-se próximo e legível
Enquanto no terraço fitamos o alto enigma familiar dos astros
Que em sua imóvel mobilidade nos conduzem

Como se em tudo aflorasse eternidade
Justa é a forma do nosso corpo

Sophia de Mello Breyner Andresen
Dual, 1973




É com ele, o nosso corpo, que vivemos, nos relacionamos e nos tocamos em sinal amor ou de afeição!
Eis-me aqui num momento de ternura, de bem estar e de gozo... envolvida e tocada pela beleza que me rodeia.