quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Maria Mãe de Jesus

A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima, passou na nossa Comunidade, na nossa Terra, na vida de cada um de nós. Cada qual A recebeu e se fez presente mediante a sua capacidade de expressar a fé, o entusiasmo, a alegria e a paz...
Estive também em alguns momentos, pensei muito na Encarnação e naquelas escadinhas de que se fala nos Exercícios Espirituais de Inácio de Loiola: Por Maria a nossa oração chega a Jesus e por Jesus é levada a Deus Pai.
«Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho e dirigiu-se apressadamente para a montanha, em direcção a uma cidade de Judá.» (Evangelho de S. Lucas)

Quando se trata de cumprir a vontade de Deus,
Maria está sempre pronta.
Ela é a humilde serva do Senhor.
Ela deixa-se guiar, levar pelo Espírito.
E neste caso concreto, 
Tu também estás lá, Jesus;
TU levas Maria a partir…
Tu acabas de habitar nela para

a salvação da humanidade.
Faz-nos partilhar a docilidade de Maria,
a sua disponibilidade e prontidão 
para aderir à vontade divina.

(Da Oração com a CVX)


MagnificatQuando é que passará esta noite interna, o universo,
E eu, a minha alma, terei o meu dia?
Quando é que despertarei de estar acordado?
Não sei. O sol brilha alto, Impossível de fitar.
As estrelas pestanejam frio,
Impossíveis de contar.
O coração pulsa alheio,
Impossível de escutar.
Quando é que passará este drama sem teatro,
Ou este teatro sem drama,
E recolherei a casa?
Onde? Como? Quando?
Gato que me fitas com olhos de vida, que tens lá no fundo?
É esse! É esse!
Esse mandará como Josué parar o sol e eu acordarei;
E então será dia.
Sorri, dormindo, minha alma!
Sorri, minha alma, será dia !
Álvaro Campos

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

As Mãos


Li e reflecti este poema. Fala das mãos... Mas que mãos? Questionei-me ao principio...

É que as minhas mãos são sobretudo o que eu sou e vivo. São elas que me ajudam a caminhar ao volante do meu carro e que me fazem ser "as rodas" de alguns amigos, sem rodas.
Mãos que cozinham e lavam loiça, aspiram e limpam o pó... Enxugam lágrimas ou as provocam.
Por vezes rudes, agressivas e egoístas, entristecendo-me...
Mas também são mãos com uma vida vivida e sonhada, mãos da certeza do carinho e do acolhimento, do amor e da segurança, mãos que acariciam e amam.
São mãos picadas por soros e quimioterapias, mas são mãos fortes que exclamam: "não posso desistir agora"...
Mãos que erram e choram, tocam o chão pelas quedas mas também me ajudam a levantar.
As minhas mãos folheiam os livros que ajudam a alimentar os meus sonhos... Muitas vezes, junto-as para rezar e ergo-as em acção de graças...
Aqui fica o poema que dedico a todos vós!

As mãos podem...
Oferecer apoio
no momento certo,
estender-se para consolar,
segurar firme para amparar.
Mas o que mais podem as mãos?
As mãos saúdam, as mãos sinalizam,
as mãos envolvem, dão carinho,
as mãos estabelecem limites,

escrevem e abençoam.
As mãos desenham no ar
o 'adeus ', o 'até logo '.

As mãos agasalham
e curam feridas.

Para o mudo
a mão é o verbo.
Para o idoso é a segurança.
Para o irascível a mão erguida é ameaça.
Para o pedinte a mão estendida é súplica.
Para quem ama, a mão silenciosa,
que acolhe a do ser amado,
é felicidade.Para quem chora,
a mão alheia
é conforto.

Há mãos que agarram, perturbadas.
Há mãos que tocam, suaves.
Há mãos que ferem.
Há mãos que acariciam.
Há mãos que amaldiçoam.
Há mãos que abençoam.
Há mãos que destroem
e há mãos que edificam,
trabalham, realizam.
Há pessoas que transmitem
energias, através da imposição demãos,
entregando-se a essa tarefa
tão bela de amor.

Nossas mãos
podem exteriorizar o amor,
construindo templos,
hospitais e escolas;
fabricando vacinas e
equipamentos médicos;
alimentando famintos,
medicando enfermos...
Podem concretizar a paz social
assinando tratados de armistício,
escrevendo livros,
guiando carros,
pilotando aviões,
varrendo ruas,
tocando instrumentos musicais,
pintando telas,
esculpindo,
construindo móveis,
prestando serviços...

Podem manifestar fraternidade,
ao lembrarmos da
essencialidade do humano,
da sensibilidade, da empatia,
estendendo-as a um irmão que,
num dia difícil, põe-se a chorar.
Suas mãos são abençoadas
ferramentas para construção
de um mundo melhor.
Use-as sempre para edificar,
elevar, dignificar, apoiar,
acenar com a esperança
de melhores dias.

Robert Redford

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Aniversários

"Cada um tem a idade do seu coração, da sua experiência e da sua fé."
(George Sand)

No meu desejo de estar atenta aos aniversários da família e dos amigos, de lhes dizer por palavras e sinais, que a minha vida tem mais sentido por eles existirem comigo... Que me sinto apoiada pela existência de quem caminha ao meu lado ... Deixo uma mensagem de parabéns a todos os que fizeram ou fazem anos nestes dias! E são muitos...

Hoje é o Nuno, há uns dias foi o P. Francisco s.j. , a Rute, a Zé, a Gina, o Gilberto, o Rui, o Gui e o João Paulo (sobrinhos) o Paulo (mano)... Amanhã a Paula! Que previlégio ter tantos dons para agradecer, tantas vidas diferentes e cheias de beleza ao meu redor.


A TODOS

domingo, 18 de janeiro de 2009

Para(Bens!) Gina

Amiga:
Que nada nem ninguém perturbe a alegria, a ternura e a paz deste dia de aniversário!
Deixo para ti, no meu blog, este raminho de antúrios (sei que gostas de antúrios...)
É verdade... também um vídeo que me pareceu significativo para te oferecer.


(Se demorar a carregar, não desistas... para tudo na vida é preciso persistência e força)

sábado, 17 de janeiro de 2009

Não me grites por favor!

Não consegui. durante alguns, dias esquecer a cena: A Senhora a gritar e a puxar-lhe pela mão com toda a força… enquanto a menina dizia soluçando: “Não grites por favor, não grites, que tenho medo!”
Que dor senti nesse momento... Como deixei morrer por instantes o "meu sonho"... O sonho que me ajuda a acreditar que as crianças são sempre motivo de alegria e sinal de esperança.

Escrevo estas palavras, neste dia de sábado em que há Catequese e vou estar algum tempo com as nossas crianças.
Gosto dos sábados, fortalecem o meu desejo de continuar nestas coisas… Gosto do barulho e da vida destas crianças que saltam, riem, brincam e gritam com alegria enquanto não chega o momento de entrarem para as respectivas salas, onde as espera um sorriso, um gesto de acolhimento uma palavra que alimente e aqueça o coração...

Penso de novo naquela outra criança a quem a impaciência quer arrancar o sorriso e o desejo de ser feliz!


A melhor maneira de tornar as crianças boas, é torná-las felizes.
Oscar Wilde


Não me grites, não me grites por favor! Porque destróis aquilo que de melhor existe em mim, destróis os meus sonhos de Paz e Bem, deixas de ser o apoio de que preciso, a mão que segura a minha e que me levanta quando caio, o braço que me apoia e me abraça…
Alice

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Cansaço


O que há em mim é sobretudo cansaço
Não d'isto ou daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
cansaço assim mesmo,
ele mesmo,
cansaço
Álvaro de Campos

domingo, 11 de janeiro de 2009

sábado, 10 de janeiro de 2009

Sur-presas...

O frio continua mas o sol quer começar a derreter a neve que se acumulou nos carros, nos passeios e em sitios mais sombrios como é por exemplo o estacionamento na saída do nosso prédio. Estamos em casa, no quentinho da nossa mesa com braseira e uma camilha para concentrar mais o calor.
Passam na televisão notícias sobre o frio intenso em todo o país, sobretudo no Norte onde houve o maior nevão dos últimos 20 anos.

Não tenho ainda fotos para colocar aqui, mas da minha janela avisto um mar de brancura e beleza que me fascina e me tranquiliza ao mesmo tempo, uma vez que vivi os últimos dois dias em ansiedade permanente.

“Ficamos muitas vezes sur-presos, isto é, agarrados inespera­damente, presos por cima! O inesperado apanha-me despreveni­do. E é bom! É sinal de que há muita coisa nova e desconhecida e é sinal de que não estou fechado e cego para a novidade. É no mínimo urgente deixar de imaginar um Deus velho e usado, sem graça, um Deus feito por nós, à nossa medida. Mas nós é que somos à sua imagem! Ele é um Deus sempre surpreenden­te, que nos apanha sempre por cima, com uma novidade, uma alternativa, que nos revela caminhos inimagináveis. Se abrimos os olhos e os ouvidos do coração, Ele aparece sempre com mais uma surpresa para nos dar. E é contemplando-o que podemos vislumbrar, afinal, quem somos.”

( P. Vasco Pinto Magalhães sj. "Onde há crise, há esperança")

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Nem vencedores, nem vencidos...


"Ser forte é,
também, saber sentir-se fraco quando nos sentimos fortes, para compreender aqueles que não o são".

(Por vezes vou guaradando pequenos pensamentos e/ou extractos que me questinam, me inquietam ou me dão força... Hoje deixo este...Preciso de o comunicar)


A PAZ SEM VENCEDORES NEM VENCIDOS

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos
Que o tempo que nos deste seja um novo
Recomeço de esperança e de justiça.
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Erguei o nosso ser à transparência
Para podermos ler melhor a vida
Para entendermos vosso mandamento
Para que venha a nós o vosso reino
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Fazei Senhor que a paz seja de todos
Dai-nos a paz que nasce da verdade
Dai-nos a paz que nasce da justiça
Dai-nos a paz chamada liberdade
Dai-nos Senhor paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Sophia de Mello Breyner Andresen

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Shalom


«Combater a pobreza, construir a paz».
Papa Bento XVI Mensagem para o dia Mundial da Paz

Em dias cinzentos e de frio, em especial na rua... a "nossa" passagem para 2009, (um grupo de amigos de várias gerações) foi no quentinho de uma Eucaristia partilhada e de uma lareira cheia de Luz.