sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Ouvir a estrela



Que nesta hora de contornos duros
eu possa, meu Deus, ouvir a estrela
e aprenda a seguir, mesmo na
fragilidade,
de vislumbre em vislumbre
a sua transparência preciosamente pura
Não é verdade que a vida não se altera:
Possa eu ouvir de novo a estrela de Deus
que faz mover a noite
Tudo na sua abóbada aberta nos reergue
por isso é possível renascer do alto
onde o amor se declara
na proposta de um começo
Ouvindo a estrela eu descubra
que do fundo de mim
Tu, meu Deus, caminhas para mim.

P. Tolentino de Mendonça


quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

No Natal, a Manjedoira

Hoje, de coração ajoelhado junto à gruta de Belém, também eu desejo aprender como se constrói a manjedoira, em silêncio...


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

No Natal...Há mais, muito mais

NATAL
Há mais, muito mais…
No Natal há mais do a que luz da vela, o riso
É o espírito da doce amizade que brilha todo o ano.
É compreensão e bondade, é a esperança renascida novamente,
É a estrela da alegria e o crer no menino que vem para nós, simplesmente...

Gedanken an Weihnachten

Há pessoas que nos falam do Deus Menino e há pessoas que nos ajudam a vê-Lo, a senti-Lo e a toca-Lo com os olhos e o coração.
Então queria dizer-vos que ontem me visitou um "Anjo", trazia a alegria estampada no rosto e muito carinho gravado no coração. Era tal como eu imagino os anjos... E trazia imensas asinhas, com os nomes dos meus amigos escritos em cada uma delas.  
Tal como acontece com as crianças quando chega o Menino Jesus, fiquei sem palavras... Muito grata pelo presente que o anjo me fez chegar,  mas ainda mais por tanto carinho.
Não sei mais que dizer... a não ser que  sinto a minha vida como um dom precioso que me foi concedido pelo Deus Menino.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Em tempo de Advento no domingo ALEGRIA



Rezar à luz da estrela do Advento

Visite-nos Senhor tua alegria.
Seja ela o dom que sustém esta hora da nossa vida.
Tenha o poder de reedificar o caído,
de aclarar a tenda que a noite atribulou,
de unir aquilo que a tristeza ou o cansaço interromperam.
Seja ela o sinal da leveza com que nos vês,
a carícia que nos estendes no tempo,
o assobio que inaugura as tréguas.
Dá-nos Senhor, neste tempo,
a alegria como alento revitalizador.
Inscreva ela em nós o sabor
da vida abundante e multiplicada;
perfume cada um dos nossos gestos;
traga às nossas palavras a luz das estrelas
que emprestam à noite uma inesquecível doçura.


Texto: José Tolentino Mendonça