quarta-feira, 30 de março de 2011

Vastidão

Gosto de voltar de vez em quando à leitura de Etty, a sua vida toca a minha vida. No seu Diário e nas suas cartas encontro sinais de um amor que bebe de um outro amor maior. Partilho com ela as alegrias, sorrisos as conquistas mas também os sofrimentos, lágrimas, e ainda o desejo de Deus. Partilho o desejo de aprender a ajoelhar diante do meu Senhor... e grata, muito grata.
E por isso aqui deixo algo que profundamente diz de mim ao dizer dela...

"O que importa é escutar o próprio ritmo dentro de ti e tentar viver segundo esse ritmo. Escutar o que emana de ti. Muito daquilo que fazes é simplesmente uma imitação ou dever imaginário ou falsas ideias acerca do que uma pessoa deve ser. A única certeza de como viver e o que fazer só pode provir das fontes que brotam lá no fundo de ti. E agora eu digo, muito humilde e grata, e é a sério, embora eu saiba que mais uma vez hei-de rebelar-me e tornar-me irritável: 'Meu Deus, agradeço-Te por me teres criado como eu sou. Agradeço-Te por vezes estar cheia de vastidão, essa vastidão não é senão o estar repleta de Ti'.»

Etty Hillesum

(Fotos da minha terra, é a minha amiga Zilda que vai fotografando para mim)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Cruz, rosa

Cruz, rosa
Dos ventos sem direcção que não seja o centro. Coluna
Sustentada pelos braços como um amigo que chega. Rosa
De orvalho e sangue para o corpo trespassado de sede. Árvore
Que bebe do homem. 
Árvore Em silêncio onde escutamos a palavra
Em carne viva. Verbo
Tão inteiro que se fez espelho.

Daniel Faria

domingo, 27 de março de 2011

Senhor... dá-me de beber

"Dá-me de beber... Desejo o teu amor...
Terá dito Jesus à Mulher Samaritana!

Recebe o MEU AMOR..."

Deixa-me ser para ti o que sou... Deixa-me ser Deus para ti...

Hoje diz-me a mim e a cada um de nós!

sexta-feira, 25 de março de 2011

O folha

Uma folha que se desprende da árvore e é levada pela agitação da brisa para o lago... Parece insignificante esta folha, mas o seu gesto de "permanecer" e de se espelhar na água, dando o melhor de si própria, faz a diferença... Tem o mágico poder de mudar os tons da água, dar-lhe luminosidade e de lhe transmitir beleza, felicidade e paz...
Tal como algumas pessoas que marcam profundamente a minha vida, e para sempre...
Alice

segunda-feira, 21 de março de 2011

A árvore cresce



"Uma árvore é uma semente que cresce devagar e em silêncio. Ama o silêncio de todas as coisas; ele concede-te um fruto que à lingua é impossível de descrever."
(José Tolentino Mendonça)
Foto Serra da Estrela (antigo sanatório)

sábado, 19 de março de 2011

O sonho

Arcabás (o sonho de José)

Hoje é o dia de S. José e por isso celebramos o dia do Pai. Parabéns ao meu querido pai, parabéns a todos os pais.
José compreende a vontade de Deus pelo sonho, quando dorme compreende...
Acho interessante, esta figura silenciosa, que adormece preocupada, sonha a vontade de Deus e acorda sentindo o afecto imenso que Deus tem por ele.
Este inicio de Quaresma tem sido para mim um tempo em que me tenho deixado muito, tocar pelos afectos... pelo amor apaixonado com que Jesus me olha, me aprecia, me perdoa e me fortalece.
Algumas reflexões "guiadas" têm contribuído para isso, vivo de novo a fé como uma experiência de ser visto, de ser amado, ser tocado no coração e também de me deixar amar. Não poderei amar verdadeiramente se não me deixar amar por...
Mas sei que nem sempre sou ou serei capaz de viver estas certezas.
É uma ajuda para pacificar muito a minha existência... a acreditar e a viver com aquela fé que me ajuda a aproximar mais do bem e me faz um mais feliz.
Durante o dia fui reflectindo e rezando isto que nem sequer sei explicar bem, mas partilho-o.

«Sempre que escutares com o coração a voz que te chama “amado”, descobrirás no mais intimo de ti o desejo de tornar a ouvir essa voz, ainda por mais tempo e com maior profundidade»
Henri Nouwen , viver é ser amado

quarta-feira, 16 de março de 2011

sábado, 12 de março de 2011

A escada

Por vezes, subo lentamente a escada do encontro, exige-me algum esforço subir escadas... mas subo porque sei que quando chegar ao cimo, encontrarei a Luz que sempre me ajuda a ver as coisas de modo diferente... É assim uma espécie de saída de um túnel, esta minha escada...
Diante desta luminosidade que me transcende e me faz por momentos fechar os olhos, posso sentar-me e abraçar o mundo e nele e com ele, a minha mãe que hoje me parece ainda mais frágil, posso fazer-me perguntas que sufocam neste momento a pequenez da minha existência.
E pergunto-me: já não o porquê, mas o para quê * desta doença de Alzheimer que a ataca, e há tanto tempo vai esvaziando lentamente, mas cada vez mais o seu cérebro?
Para quê também estes momentos frequentes de lucidez que a fazem recordar que existe algo que não consegue controlar mas não sabe o que é?
Hoje tudo parece lento em mim, não quero no entanto deixar de continuar a minha subida e levar a minha mãe comigo ainda que tenhamos de nos sentar a meio… De manhã, estava na cozinha a preparar o pequeno-almoço ela chegou junto de mim e começou a chorar.
- Porquê mãezinha? O que se passa? A resposta veio com custo…
- Estou triste filha, mas não sei… não sei o que tenho, não sei o que se passa comigo.
Abracei-a, aconcheguei-a um pouco no colo tentando secar aquelas lágrimas que muitas vezes são tão inesperadas quanto breves… Fiquei calada durante alguns momentos, sem nada que conseguisse pensar ou fazer, a seguir dispus-me a recomeçar a subida.
* (palavras do amigo p. Vasco Magalhães)
Alice

sexta-feira, 11 de março de 2011

Algumas coisas em tempo de quaresma

A leitura, tal como a escrita são para mim um caminho consolador e por vezes fecundo.
Com a leitura e sobretudo uma leitura cuidada, atenta e orante, abro os olhos e o coração ao mundo que me rodeia e à presença de Deus na minha vida.
Ao escrever, ainda que coisas pequenas e simples, dou a palavra ao que vejo, ao que sinto e ao que penso. São gestos e atitudes que me ajudam a ser mais mais humana, por um lado, e mais sonhadora por outro.
Por vezes deixo aqui coisas em Espanhol, sobretudo orações... Quero dizer a quem me visita que "não aprendi essa linguagem a não ser na vida..." mas gosto de ler, e sobretudo de rezar em Espanhol. Sinto que entro em grande sintonia com Deus indo por aí.
Gosto de rezar com Inácio de Loyola, com Pedro Arrupe e com muitos outros.
Vivemos hoje a 1ª. Sexta-feira da Quaresma, tenho desejos e convicções que me ajudam a querer caminhar e sei que o posso fazer à minha medida, porque as medidas de Deus ultrapassam as minhas, as de cada um de nós... e então caminho, porque sei que o faço, para ir ao encontro de uma nova fase da minha vida.
Tenho aprendido a dar mais atenção à arte, a olhar e a descobrir sinais de vida em coisas que antes me pareciam coisas mortas...
Por algumas coisas de que já falei, durante este tempo de quaresma quero ser mais fiel à leitura e à escrita e ainda que só possa fazê-lo através de imagens, cá estarei dia a dia procurando comunicar.
Desejo-vos uma boa caminhada quaresmal, na certeza de que caminhamos para um futuro que será novo.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Quaresma, tempo de me deixar seduzir...

Sieger Koder

Me has seducido
Me has seducido, Señor, y me dejé seducir,
desde que aprendí tu nombre balbucido en familia.

Me has seducido, Señor, y me dejé seducir
en cada nueva llamada que el alto mar me traía.

Me has seducido, Señor, y me dejé seducir
hasta el confín de la tarde hasta el umbral de la muerte.

Me has seducido, Señor, y me dejé seducir
en cada rostro de pobre que me gritaba tu rostro.

Me has seducido, Señor, y me dejé seducir,
y en el desigual combate me has dominado, Señor,
y es bien tuya la victoria.

Me has seducido, Señor, y me dejé seducir
en un desigual comercio, y la victoria es bien nuestra.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Nas Tuas mãos

En el nombre del Padre

Porque Tú lo has querido
estoy aquí, Señor. En Tu nombre.
No he venido yo; me has absorbido
en la espiral de amor,
que eres con todos.

Nadie puede arrimarse a Ti
sin que enterlo lo abraces,
lo hagas Tuyo.
Sin robarle nada,
dándole todo.

Del suelo a la cabeza
soy regalo tuyo,
espíritu que vuela
y cuerpo que lo apresa.

No puedes ya
salirte de este mundo.
Me inundaste (Rom5,5)
Y, empapado de Ti, te voy sembrando,
y al tiempo que me siembro,
como grano de trigo,
en mis hermanos.
No quiero quedar solo.

Tu rostro buscaré, Señor.
Hasta decirte ¡Padre!
Pero sólo te encuentro, cuando,
a todo lo que mana de Ti
le digo: ¡hermano

Ignacio Iglesias, sj