domingo, 31 de maio de 2009

Obrigada a quem me enviou...


Vamos dançar?
No pairar sobre as águas e nas chamas de fogo,
no sopro primeiro e no forte vento,
no balbuciar da primeira palavra e na abundância das línguas,
Tu vens, ó Espírito, dançar a festa da vida
e entretecer esta história de homens e mulheres,
eternamente aprendizes da Tua surpresa.

Andamos esquecidos de dançar,
e de ouvir a melodia que sopras cada manhã.
Ainda que corramos de um ao outro lado dos dias,
os pés andam pesados e as asas prenderam-se
nas amarras de tantas coisas tornadas essenciais.
Frágeis e receosos diante da grandeza que nos confias,
presos aos barro que emperra os passos
e desejosos de uma mão que molde os sonhos,
custa-nos a Tua discrição que parece ausência,
como um jogo de escondidas
onde ganha quem se perde,
e perde quem não se deixa encontrar por Ti.

Convidas para a dança da vida
com a alegria e o encanto do apaixonado no salão de baile.
Passo a passo nos ensinas
a encontrar asas na estátua de pedra
em que os corpos se tornaram,
e abres as pétalas da flor que não ousava abrir-se.
Rodopias connosco e em nós
e dás aos nossos sonhos a consistência dos milagres
às nossas palavras o dom do entendimento,
aos nossos gestos o fermento da paz e do perdão.
Contigo gravamos nos corações
o constante palpitar de amor que Deus tem por nós
e como fica rubra a sua face quando nos convida:

“Queres dançar Comigo?”

Poema do Padre Vítor Gonçalves

Hoje...Pentecostes


A PAZ ESTEJA CONVOSCO!

Quando tudo parece perdido... O medo, o desânimo e a tristeza se instalam... Eis que a novidade acontece e tudo atinge o seu pleno sentido!
Na escuridão duma noite sem estrelas uma Nova Luz se acende e Ele irrompe derrubando muros e abrindo as portas de uma casa que parecia dar segurança, mas que realmente impede os discípulos e nos impede a nós de nos lançarmos em busca da vida... É Jesus que nos diz hoje e sempre: A Paz esteja convosco!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Não fiques na praia

Dedico a um bom amigo, mesmo que ele não veja o meu blog muitas vezes.
Sei que está perto da praia, mas não fica não... Muita gente espera e precisa dele para continuar a caminhada.

video

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Arriscar sempre... porque sim...


Arriscar
"Um coração partido, assim como uma perna partida, dói, mas sara.
E as cicatrizes que nos deixam, são um testemunho de que tivemos
a coragem de sonhar, de amar e de arriscar a sermos magoados.
A isso chama-se entrega.
E sem entrega, não existe amor.
Não existe vida!

É o coração que tem medo de se magoar, que nunca aprende a dançar. "
Judy Collins

- Recebi hoje este pensamento de uma amiga muito querida e soube-me a tanto carinho, tanta ternura e verdade que o coloco aqui, porque sim e também para lhe dizer obrigada!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Sonho


Sonhei... que tive a coragem de

"largar"
tudo o que não é essencial...

e prosseguir em paz a minha jornada!

sábado, 16 de maio de 2009

quinta-feira, 14 de maio de 2009

O silêncio de Fátima


Li este artigo na Agência Ecclesia e acho-o tão cheio de paz, de verdade e de sentido silencioso, que o coloco no meu blog, desejando que muitas pessoas o possam saborear.

De silêncio se veste a noite no Santuário de Fátima.
Depois da celebração da eucaristia, o recinto vai-se esvaziando. Por instantes são as saídas que se enchem de gente, cansada e com sono. Apenas para a Capelinha das Aparições concorrem pessoas para mais uns momentos de oração. Passa da meia-noite, mas ainda se cumprem promessas e se acendem velas.
Passam pessoas com bancos e agasalhos para a noite fria e corta ventos a antecipar a chuva que não chegou a cair.
Na Igreja da Santíssima Trindade decorre a vigília e exposição do Santíssimo até às duas horas da manhã. Mas são muitos os que circundam a igreja com sacos-cama, com colchões e cobertores para ali passar a noite.
Passam estudantes de capas negras, uma criança pela mão da mãe, passam senhoras de passo apressado para acorrer à vigília. As portas laterais vão deixando entrar os peregrinos que ainda estão despertos. Há quem não aguente o cansaço e adormeça nos bancos.
Do silêncio se faz a noite no interior da Igreja. O silêncio de quem reza, de quem escuta, de quem pára.
Também se trabalha e aos poucos desaparecem os recipientes de velas no recinto do Santuário. Fica apenas a cera no chão, a marca de quem ali rezou.
Mais à frente partilha-se uma ceia ou pede-se silêncio a quem ainda troca conversas. Vêem-se cadeiras encostadas às grades que nesta noite serão amparo. Uma família estende cobertores no chão.
A Basílica está fechada. Um peregrino, com sotaque espanhol, pergunta se pode entrar. «Não», responde a jornalista. «Oh, que pena. Queria saudar a Jacinta e o Francisco». Em breves instantes, estende o braço e toca com a mão na parede da Basílica e aí faz a sua oração.
Reina o silêncio no Santuário de Fátima. Um céu limpo não afasta os peregrinos da oração.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

presença terna


Não se perdeu nenhuma coisa em mim.

Continuam as noites e os poentes

Que escorreram na casa e no jardim,

Continuam as vozes diferentes

Que intactas no meu ser estão suspensas.

Trago o terror e trago a claridade,

E através de todas as presenças

Caminho para a única unidade.


Sophia de Mello Breyner Andresen

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Os dias e as noites...


Deixo hoje este soneto que é lindo... A gravura lembra-me o céu estrelado e a lua que tanto gosto de ver e rever da varanda do meu quarto!
E mesmo nas noites mais escuras, até quando tudo parece mais sombrio, quando a minha fé e a minha esperança ficam mais ténues, eu acredito que elas estão lá, brincando com um sorriso maroto. Acredito "porque sim"... Como acredito no Amor!



Soneto de aniversário

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

Vinicius de Moraes


segunda-feira, 4 de maio de 2009

Voz e Presença

Escutai a melodia da voz do Senhor e o encanto de tudo o que sai da sua boca! Cada vez que a pressinto, o meu coração palpita e salta de espanto no meu peito. As maravilhas que revela estendem-se pela vastidão dos céus, e o seu fulgor chega aos confins da terra. Faz-se ouvir a majestade da sua voz que infunde respeito e cuja ternura deslumbra e conquista. Faz prodígios que não entendemos, tem surpresas que nos desconcertam, mas a criação inteira proclama a sua grandeza. Na presença do seu esplendor, o meu coração cai de joelhos e balbucia uma prece que não sabe formular. O indizível apoderou-se da minha alma. Só o silêncio pode falar.
Pe. Luís Rocha e Mello, s.j.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

A Vida


"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens."
Fernando Pessoa

Li esta frase, de Fernando Pessoa, pela manhã e creio que posso considerá-la uma verdade para a minha vida. É por isso que agora deixo correr o meu pensamento, num desejo forte de que nada o possa limitar ou vencer.

Por vezes sinto-me incapaz de continuar, surge o limite do entendimento e da energia que me faz reagir no dia-a-dia… os meus desejos de acrescentar beleza ao nosso mundo como que se esbatem, a tristeza atinge o meu coração…

Agora chega!... E, digo NÃO a tudo o que possa perturbar a força dos meus sonhos!
Quero amar sem limites a vida que me rodeia e as pessoas que se cruzarem comigo… Quero aprender quanta beleza existe na fragilidade de uma criança ou na simplicidade de uma flor.
Quero escutar palavras que sejam sinais do beijo terno que desejo receber.
Quero acolher com confiança os olhos me falam de amor nesta noite de estrelas que nunca acabará…