domingo, 8 de setembro de 2013

Encontros

Neste final de dia, domingo, deixo uma  flor cuja simplicidade e brilho me fala e aproxima de Deus.
E esta forma de sentir Deus na minha vida é a oração, é a verdade, é a proximidade com tudo o que me rodeia.
Sei que em mim há uma parte profundamente humana que aproxima ou limita a minha vida e o bem que desejo fazer. Penso que acontece em cada vida, em cada um de nós. 

Olho o meu pai aconchegado no sofá habitual, sempre no mesmo lugar e penso depois naquele casal que hoje à porta da Igreja, sentados no chão, apresentavam uma caixinha de plástico com algumas moedas como que a dizerem: "preciso mais, só isto não"! 
Estava com a Zilda, demos uma moeda e seguimos... 

Reconheço um mundo que me parece tantas vezes injusto, a cair em pedacinhos... e encontro-me a seguir com Deus que se "expõe" a cada um, num pedacinho de Pão. Na verdade acredito que o Encontro se antecipara na entrada de porta. E isso vai acontecendo sempre, através de pequenas coisas, pequenos nadas que me ajudam a reconhecer o AMOR. 

Isto faz a diferença do toque, do abraço recebido e oferecido assim como do olhar, da palavra e do silêncio que agora me habita.

Alice

1 comentário:

Unknown disse...

Só hoje consegui disponibilizar tempo para visitar o seu expectacular blogue.
Seria uma excelente companhia para uma silenciosa note de reflexão.
Por inépcia tenho desperdiçado muita vida.
Vamos aguadar por novas oportunidades e que o E. S. esteja sempre consigo para partilhar a Palavra de Deus.
AJPombo