quinta-feira, 6 de outubro de 2011

SE ME AMAS, NÃO CHORES


Hoje o dia decorreu lentamente entre o trabalho que é necessário fazer para o recomeço da Catequese e uma nostalgia que ora se vai no absorvimento em que me encontro, ora vem juntamente com as recordações, os objectos, tudo aquilo que faz parte da nossa casa e foi sendo conseguido pouco a pouco. Dou-me conta cada vez mais de que é preciso dar tempo... necessito de momentos de silêncio, em que fecho os olhos e não quero pensar, nem falar ou sequer ouvir... Mas também preciso por vezes de falar, partilhar, revelar a minha fragilidade.
Deixo esta oração que é de esperança e me foi enviada pelo amigo Jorge Silva.

Se conhecesses o mistério imenso
do Céu onde agora vivo,
esse horizonte sem fim,
esta luz que tudo reveste e penetra,
não chorarias, se me amas!
Estou já absorvido no encanto de Deus,
na Sua infindável beleza.
Permanece em mim o teu amor,
uma enorme ternura
que nem tu consegues imaginar.
Vivo numa alegria puríssima.
Nas angústias do tempo,
pensa nesta casa
onde um dia
estaremos reunidos para além da morte,
matando a sede
na fonte inesgotável da alegria
e do amor infinito.
Não chores,
se verdadeiramente me amas.

Santo Agostinho

1 comentário:

Marcello di Paola disse...

Sinto por sua mãe, ao ler suas reflexões eu é quem foi consolado. Oro a Deus para que abençoes a muito com o que escreves. Eu mesmo, aqui no Brasil, fui abençoado.