sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Ouvir a estrela



Que nesta hora de contornos duros
eu possa, meu Deus, ouvir a estrela
e aprenda a seguir, mesmo na
fragilidade,
de vislumbre em vislumbre
a sua transparência preciosamente pura
Não é verdade que a vida não se altera:
Possa eu ouvir de novo a estrela de Deus
que faz mover a noite
Tudo na sua abóbada aberta nos reergue
por isso é possível renascer do alto
onde o amor se declara
na proposta de um começo
Ouvindo a estrela eu descubra
que do fundo de mim
Tu, meu Deus, caminhas para mim.

P. Tolentino de Mendonça


Sem comentários: