segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Um vazio que se enche de Deus



Gosto muito deste poema, no sentido em me leva a reflectir, e a ter cada vez mais a certeza de que em Deus não há vazios porque tudo se pode encher de vida e de amor.

Poema
Aqui estou eu, sou uma folha de papel vazia
Pequenas coisas, pequenos pontos
Vão-me mostrando o caminho
Às vezes aqui faz frio
Às vezes eu fico imóvel, pairando no Vazio
As vezes aqui faz frio
Sei que me esperas, não sei se vou lá chegar
Tenho coisas p’ra fazer, tenho vidas para acompanhar
Às vezes lá faz mais frio
Às vezes eu fico imóvel, pairando no vazio
No perfeito vazio
Às vezes lá faz mais frio
(lá fora faz tanto frio)
Bem-vindos a minha casa, ao meu lar mais profundo
De onde saio por vezes para conquistar o mundo
Às vezes tu tens mais frio
Às vezes eu fico imóvel, pairando no vazio
No perfeito vazio
Às vezes lá faz mais frio
No teu peito vazio

Xutos e Pontapés, “Perfeito vazio”

Sem comentários: