segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Busca...


«Busco a doçura profunda,
a que nunca ninguém viu,
e cuja existência não pode ser posta em causa,
pois é a ela que
devemos a beleza perfumada dos jacintos, a luz nos olhos espantados dos animais e tudo o que, sobre a terra e nos livros, o que há de bom.»
Christian Bobin



Sempre à busca como quem sabe que a seguir a cada noite chuvosa surge uma manhã de sol!

Foi assim que começou hoje o meu dia... Sonolenta por uma noite solitária e mal dormida. Um enorme cansaço tinha tomado conta de todo o meu ser, neste caminhar em busca da doçura que não encontrei em parte alguma a não ser hoje na Eucaristia.

É dia de S. Francisco de Assis... e em certo momento dou-me conta que de novo sou capaz de rezar. Rezar com sentimentos de quem fala com alguém que me conhece e me diz: "os jacintos" são teus, criei-os para ti, hoje e sempre, porque te amo.
Como Francisco ouso hoje cantar o Sol, a Lua e as Estrelas e com simplicidade quero olhar todos os que me rodeiam e dizer-lhes olhos nos olhos: Paz e Bem!

Dou-me conta, de que nada é mais gratificante do que continuar a amar aqueles que em certos momentos trouxeram "morte", decepção ou tristeza à minha vida. Compreendo que faz parte do meu ser, continuar a amar e acreditar que me escolheste para Ti, Senhor! Porque sim... Só por amor! Não permitas que a fragilidade em que vivo me afaste de Ti.

Sento-me na beira da minha cama e deixo rolar na minha face uma lágrima de paz e bem, um sinal de gratidão por tanto bem recebido.

Sem comentários: