segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal no meu coração



O Natal aconteceu porque era Natal! Os sentimentos à flor da pele, a nostalgia de uma fase da vida que já vai distante e a esperança do “encontro” feito presépio e no presépio.

As crianças reconstruíram, na sua simplicidade, algumas tradições que não voltarão a ser completas… A oração feita pelos mais novos era cheia de poesia e beleza… afirmava os valores cristãos, incutidos pela família, e recordava alguém que, no meio das estrelas, nos olhava com alegria e ternura.

(Isto, na verdade, já faz parte do que eu desejei e rezei…) Mas também acredito que outros o terão pensado comigo e, como que respeitando os sentimentos de cada um, ficou no silêncio de “uma noite de natal” com estrelas.

De facto não há muito que dizer nestes momentos, senão que vale a pena a vida, vale a pena o amor, vale a pena chorar e sorrir, porque o Natal vale a pena...
Houve a agitação e a expectativa habitual dos mais pequeninos, uma breve troca de presentes, resultante de um sorteio que, na nossa família sempre a aumentar, faz parte da partilha natalícia. Cada um de nós oferece uma prendinha à pessoa que lhe calhou.

Mais tarde, regressando a casa depois da Missa do Galo, procurei colocar o coração num presépio feito de vida e de saudade. Havia muita gente, mas uma espécie de neblina em redor dos acontecimentos impedia-me de ver claro… queria fazer-me ouvir e não conseguia, queria tocar e os meus braços perdiam-se numa distância ténue, mas existente.

Tinha marcado alguns encontros para o momento da visita ao presépio, nem todos foram conseguidos. Foi por falta de tempo ou de espaço? Nunca o saberei bem mas, na verdade, em todos pensei e com todos me encontrei, porque estávamos juntos no AMOR!

Quase de certeza, foi assim que aconteceu naquela noite em Belém.

1 comentário:

Pep disse...

Que este dia lhe trazer a paz no mundo,
que para cada choro de uma criança ouviu o canto dos pássaros,
que para cada lágrima de uma flor nasce de um pimavera mãe,
todos os sonhos em realidade.
Bon Nadal