domingo, 26 de abril de 2009

FALTA DE AR

Era uma vez um jovem que sentia um grande desejo de se encontrar com Deus. Para isso, foi ter com um homem com fama de santo, que vivia na solidão e passava os dias e as noites a contemplar silenciosamente o seu Senhor.
O jovem subiu à montanha, aproximou-se dele e pediu-lhe:
- Eu desejaria encontrar Deus: vê-lo, escutá-lo, tocar-lhe e ser como tu uma pessoa feliz.
O santo homem permaneceu silencioso. O jovem esperava. Alguns instantes depois ergueu-se e disse-lhe:
- Jovem, vem comigo até junto do ribeiro que corre para o mar.
Os dois deram alguns passos e desceram até junto da água. Ambos aproximaram-se dela, e ajoelharam-se para molhar os dedos. Nesse momento, o santo homem pôs a mão sobre a cabeça do jovem e mergulhou-a na água do ribeiro.
O jovem, passado poucos instantes, estava ansioso com falta de ar. Fazia o possível para se erguer. Então o homem disse-lhe:
- O que é que desejavas, quando tinhas a cabeça debaixo da água?
- Desejava ar para poder respirar.
-Se é assim que desejas Deus, certamente que o encon­trarás.
Ele dá-se a conhecer a quem o busca apaixonadamente. Nele vivemos, nos movemos e existimos. Mas não se impõe. Necessita que o procuremos com paixão, como o veado com sede busca as águas frescas.

- Quem busca a Deus de coração sincero, certamente que o encontrará. Deus está ali à sua espera.

(Toma e Lê – Pedrosa Ferreira)

Sem comentários: