sábado, 18 de abril de 2009

Necessito de Ti!


O dia parece hoje um pouco mais claro, de vez em quando surge um raizinho de sol que embora ténue e rápido, ajuda a iluminar o meu dia, me fortalece e me faz sonhar novos momentos.
Têm sido muito complicadas para todos as últimas semanas. A doença do meu cunhado e consequentemete ausência da Mana Tété, nome que lhe damos carinhosamente, fez-se sentir nestes dias.
Últimamente o Tó não parecia andar muito bem, e após alguns exames feitos em Lisboa, descobriram um aneurisma abdominal, que estava em risco de rebentar a qualquer momento. Operado com a rapidez possivel e depois de três semanas de internamento, mantêm-se em Lisboa em recuperação.
Foram dias dificeis, que marcaram a nossa Semana Santa e a Páscoa, mas sempre esteve presente a fé, juntamente com a ansiedade e o sofrimento próprios do amor que temos uns pelos outros.
Procurámos todos mantêr o equilibrio possível, não fugindo às dificuldades, mas acreditando sempre em dias melhores e com mais "sol", aí tiverem um papel muito forte os amigos com a sua presença incansável.

Deixo uma oração de Teilhard de Chardin que me ajuda.

Necessito de ti Senhor!
Porque sem Ti a minha vida seca.
Queria encontrar-Te na oração,
na tua presença inconfundível,
durante esses momentos em que o silencio
está à minha frente, diante de Ti.
Queria procurar-Te!
Queria encontrar-Te no mundo que criaste;
Na transparência de um horizonte longe
e na profundidade de um bosque
que protege com as suas folhasto
das as pessoas.
Precisava de te sentir!
Queria encontrar-Te nos teus sacramentos,
no reencontro com o teu perdão,
ao ler a tua palavra,
no mistério da tua entrega radical.
Precisava de te sentir!
Queria encontrar-te em todas as pessoas
na necessidades de quem se sente pobre
no amor dos meus amigos,
no sorriso de uma criança
e no barulho da multidão.
Tenho que Te ver!
Queria encontrar-Te, ainda, na minha pobreza,
nas capacidades que me deste,
nos meus desejos e sentimentos,
no trabalho e no descanso,
e um dia, na debilidade da minha vida,
quando me aproximar das portas
e me encontrar pessoalmente contigo.

Teilhard de Chardin

Sem comentários: