quinta-feira, 7 de maio de 2009

Os dias e as noites...


Deixo hoje este soneto que é lindo... A gravura lembra-me o céu estrelado e a lua que tanto gosto de ver e rever da varanda do meu quarto!
E mesmo nas noites mais escuras, até quando tudo parece mais sombrio, quando a minha fé e a minha esperança ficam mais ténues, eu acredito que elas estão lá, brincando com um sorriso maroto. Acredito "porque sim"... Como acredito no Amor!



Soneto de aniversário

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

Vinicius de Moraes


Sem comentários: