segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Morria a noite


Morria a noite…
Um murmúrio sorria de boca em boca:
O mensageiro! O mensageiro! Aí vem o Mensageiro!
Inclinei a cabeça e perguntei: vem já?
De todas as partes parece que estalava o Sim da resposta.
O meu pensamento, atormentado, dizia:
Não tenho ainda pronta a cúpula do meu palácio,

nada está completo…
Veio uma voz do Céu:
Derruba o teu palácio.
Porquê? – perguntou o meu pensamento.
Porque Ele está mesmo, mesmo a chegar
e o teu palácio estorva a passagem!


Levantei-me cedo nesta segunda-feira fria e um pouco escura... À nossa volta permanecem os restos do nevão de ontem à noite... e falo-vos um pouco do meu sonho com base neste pequeno poema do qual não conheço o autor.
Será que a neve que me impede de andar, de sair de casa mesmo de carro, ajudará a derrubar este "meu palácio"?
Sei que a vida se mede pela qualidade da esperança que se espalha à nossa volta.
Mas quem trará hoje à minha vida a esperança que me falta? Sinto frio, sinto cansaço, sinto a noite...


1 comentário:

Anónimo disse...

AMIGA
As manhãs podem estar frias e até um pouco escuras, mas nós continuamos, como sempre, abençoadas...por isso a esperança vem pela graça do Salvador...é Ele que está mesmo a chegar e é n'Ele que temos que colocar toda a nossa confiança e fé.
Quero "ver" o teu sorriso e sentir que a manhã aqueceu e se tornou mais clara...aqui vai um bocadinho de Sol...
SS