domingo, 9 de agosto de 2009

Não conheço a razão


"Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?"
Fernando Pessoa



Que outras coisas poderei partilhar hoje... Neste domingo de sol e quietude?
Digo que as certezas que muitas vezes alimentavam o meu ego, esfumam-se num espaço e num tempo que também já não existe, dando lugar a um desejo de humildade que me pacifica. A palavra "ausência" tem a marca do bem e da ternura que me faz ser grata e me ajuda a ver a fragilidade dos sonhos, que muitas vezes construo e alimento...
E que Deus, é também sempre novo, no Seu modo de me encontrar se me perco, que posso viver do Seu amor incondicional que me faz existir e ser... Da certeza firme, de que a vida eterna começa hoje, - como nos dizia a liturgia...
Hoje posso contemplar o mar, o sol e as estrelas e sentir a alegria das gaivotas no horizonte!

Sem comentários: