segunda-feira, 15 de março de 2010

Amar para amar

Tenho um amigo que se chama Pep e gostaria de falar com ele em Catalão, porque a linguagem escrita pode ser por vezes "fonte se mal entendidos", como refere Exupery no livro "O principezinho".... e sobretudo se ela vai ter que ser traduzida. Mas não sei mesmo...

Pep, em primeiro lugar obrigada por leres o que escrevo pelos comentários que fazes.
Dirijo-te uma palavra particular para te falar um pouco mais de mim. Quando tinha 16 meses eu fui atacada por uma doença vírica, poliomielite, que deixou marcas para sempre.
Eu não entendia e os meus pais também não, mas sempre me disseram e ajudaram a compreender que a minha vida era importante e era um bem e lutaram para que eu vivesse feliz.
Nós não tínhamos automóvel mas o meu pai levava-me a passear aos seus ombros, as minhas irmãs cresceram e também me pegavam ao colo.
Os meus irmãos muitas vezes pegavam em mim com força na praia e atiravam-me sobre as ondas do mar. Por isso a minha ligação com o mar com o sol, com a natureza que Deus criou para mim, para NÓS...
Passei por vários hospitais e fui melhorando, a técnica avançou e a vida tornou-se mais suave para mim. No hospital eu chorava com muitas saudades, juntamente com outras crianças que se encontravam em situações semelhantes, formávamos uma família(…)»
Houve um Hospital em que estive 3 anos. Aprendi a viver na alegria e na dificuldade e conheci o AMOR que explica e dá sentido a tudo, o amor Daquele que se faz presença, sempre que eu paro para O escutar, que me ama em primeiro lugar porque deu e continua a dar a vida por mim. Que me abraça quando estou mais frágil.
E sabes por onde passa esse abraço? Passa em primeiro lugar por aqueles que me rodeiam, passa muitos pelos amigos, passa também pelas crianças que ajudo a crescer... pelo brilho do seu olhar feliz ou ainda pela marca de alguma dor por que passaram também.
As pessoas são livres de escolher entre o bem e o mal, e de facto o mal é causa de sofrimento. No entanto as pessoas são livres e Deus não força a sua LIBERDADE. Eu vou aprendendo isto na vida e na oração. Eu muitas vezes faço coisas muito erradas que também atingem outros, porque Deus me deixa livre de o fazer, mas depois fico a desejar mudar caminho e ser melhor.
Pep, onde quer que estejas, acredita que Deus está para além do sofrimento e do mal que as pessoas causam umas às outras.
Hoje eu sou uma pessoa mais independente, conduzo o meu carro e posso receber o sol e a chuva no rosto indo sozinha, posso visitar os amigos e passear com eles.

Nem tudo é assim tão simples comigo, tenho momentos de lutas e de dores, passei por doença oncológica e muitas vezes eu choro lágrimas que são “colírio do coração”, então Ele vem abraça-me e diz: «Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei-de aliviar-vos. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.» (Mt. 11, 28-30)

Voltaremos a conversar se tu quiseres.
Um abraço
Alice

Sem comentários: