quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Sonhos perdidos?


O vocabulário do amor é restrito e repetitivo, porque a sua melhor expressão é o silêncio. Mas é deste silêncio que nasce todo o vocabulário do mundo
Virgílio Ferreira

Há um silêncio que hoje me habita, um silêncio que não produz, não cala o pensamento, não deixa sossegar o espirito. É este silêncio que me faz sentir um Outono sem fim e  um passado sem regresso.
Os bancos "esvaziados de gente", porque sim... as folhas caídas, amarelas e sem vida, porque desistiram da árvore, ou talvez porque chegou a hora da despedida...
Ao escrever esta postagem, que me parece algo "descolorida", fui-me dando conta de que há momentos em que a  paz que me parecia já ter conquistado se confronta com os meus limites, numa luta sem sentido...  
"O vocabulário do amor é restrito e repetitivo", mas existe e exige confiança, uma tal confiança que aos poucos renovará  os meus "sonhos perdidos" e me traga a  paz como uma benção.
Alice

Sem comentários: