terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A exposição do Santíssimo

De coração agradecido pelo afecto de Deus e, depois de três dias de exercícios espirituais, em que sinto vibrar profundamente em mim este amor, deixo um texto que foi "rezado" diante do Senhor Exposto na Eucaristia.


«Como sempre, tudo regressa a este cume. E tudo dele parte. A Eucaristia tudo recolhe. Tudo condensa. Tudo relança. Esta é a sarça que arde sem se consumir. É o ícone que, pelas coisas da nossa existência, nos abre, ainda e sempre, a passagem para o que a vida tem de eterno. Vértice e abismo do vínculo de Deus connosco, os gestos e as palavras, os ritmos, as formas, os cantos os silêncios, as cores e as sombras que fazem a Eucaristia, realizam, aqui e agora, o encontro entre o sagrado e o quotidiano, a minha biografia e a nossa história comum. Assim se desenha um espaço entre nós e entre nós Deus, no qual a pobreza dos meios e a limitação das formas se tornam lugares da infinita riqueza da Graça.

Neste lugar, tão alto e tão baixo, tão largo e tão extenso, e, porém, tão contido e tão elementar, continuamos a testemunhar como o Absoluto se faz relativo, como o Santíssimo se nos expõe. 

padre José Frazão, sj - do livro "a Fé vive de afeto"
variações sobre um tema vital 
Pintura - Arcabás

1 comentário:

Carla Fernanda disse...

Lindo!!! Deus em tudo e em primeiro lugar querida.

Beijos