sábado, 25 de janeiro de 2014

O papel branco e a minha mesa

«Ponho um papel branco sobre a mesa e espero que as palavras, atraídas pela luminosidade, venham pousar nele». 
Christian Bobin, em "Ressuscitar"
Quero por o meu papel branco sobre a mesa,
quando a minha terra está cheia de sol,
porque o tanto e o tão pouco que eu sou
o mundo que me rodeia
e a luz que envolve o meu dia,
o encherão de palavras  de amor!
alice

Pintura: Pablo Picasso

2 comentários:

LENAPENA disse...

Bom dia, Alice. Que beleza de mensagem. Quando nos colocamos receptivos para que a luz se faça através de nossos sentimentos e palavras, creio que nos tornamos semelhantes a um funil, por onde a luz flui. Gostei muito de conhecer seu Blog, e a proposta que ele trás. A fé que construímos em nós, é nossa fortaleza a nos dar guarida em momentos de tempestade, e alegria maior em momentos de calmaria. Um abraço

Paulo Costa disse...

Deixar que a luz transpareça com suavidade e mansidão nas nossas palavras e, sobretudo, nos nossos gestos e acções.Isto exige abertura, capacidade de acolhimento, uma atenção permanente a tudo o que nos rodeia e confiança de que só Ele basta...

Grato pelas palavras tão belas e profundas. Abraço fraterno.