sábado, 12 de março de 2011

A escada

Por vezes, subo lentamente a escada do encontro, exige-me algum esforço subir escadas... mas subo porque sei que quando chegar ao cimo, encontrarei a Luz que sempre me ajuda a ver as coisas de modo diferente... É assim uma espécie de saída de um túnel, esta minha escada...
Diante desta luminosidade que me transcende e me faz por momentos fechar os olhos, posso sentar-me e abraçar o mundo e nele e com ele, a minha mãe que hoje me parece ainda mais frágil, posso fazer-me perguntas que sufocam neste momento a pequenez da minha existência.
E pergunto-me: já não o porquê, mas o para quê * desta doença de Alzheimer que a ataca, e há tanto tempo vai esvaziando lentamente, mas cada vez mais o seu cérebro?
Para quê também estes momentos frequentes de lucidez que a fazem recordar que existe algo que não consegue controlar mas não sabe o que é?
Hoje tudo parece lento em mim, não quero no entanto deixar de continuar a minha subida e levar a minha mãe comigo ainda que tenhamos de nos sentar a meio… De manhã, estava na cozinha a preparar o pequeno-almoço ela chegou junto de mim e começou a chorar.
- Porquê mãezinha? O que se passa? A resposta veio com custo…
- Estou triste filha, mas não sei… não sei o que tenho, não sei o que se passa comigo.
Abracei-a, aconcheguei-a um pouco no colo tentando secar aquelas lágrimas que muitas vezes são tão inesperadas quanto breves… Fiquei calada durante alguns momentos, sem nada que conseguisse pensar ou fazer, a seguir dispus-me a recomeçar a subida.
* (palavras do amigo p. Vasco Magalhães)
Alice

3 comentários:

O Ser Humano e o Elementos da NATUREZA disse...

Amiga, PARABENS pelo ser humano que és! Todo esse teu caminhar está sendo muito enriquecido espiritualmente, cada subida nessa escada da tua vida é mais um passo no processo evolutivo.Eu também já passei por um processo semelhante e muitos outros, mas, HOJE agradeço a DEUS por tudo que já aconteceu comigo. Estou também nesse momento subindo mais degraus e sei que conseguirei vitórias. Deus te abençoe sempre!

Anónimo disse...

O AMOR tem uma força enorme!:)

Abraço apertado!

Anónimo disse...

Tenho a felicidade de estar a fazer esse percurso, amiga. Sei demasiado bem do que fala. É uma subida íngreme e comprida. Por vezes necessita de pausas. Difícil. Mas quem é que disse que as coisas boas não são difíceis?

Bjinho