quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Da página em branco...

"Começo a partir da página em branco"

.... escrevo um pouco e deixo esta flor bonita que hoje me ajudou a rezar.
Quando vejo as flores retomo memórias já conseguidas, da beleza que me leva a contemplar Deus que, na natureza se revela... Uma natureza tão pensada e completamente entregue à nossa guarda e à nossa criatividade! 
Também por isso, em cada dia, desejo abrir o coração à esperança e à vida que desabrocha e acontece à minha volta. 

Regressei à fisioterapia e mantenho-me fiel desde segunda feira. A Sandra (fisioterapeuta) continua a ter suavidade e fortaleza nas mãos. Na verdade sinto menos dores... É um bem que recebo e é também uma oportunidade de sorrir à vida.


Sei que seria possível construir o mundo justo
As cidades poderiam ser claras e lavadas
Pelo canto dos espaços e das fontes
O céu o mar e a terra estão prontos
A saciar a nossa fome do terrestre
A terra onde estamos — se ninguém atraiçoasse — proporia
Cada dia a cada um a liberdade e o reino
— Na concha na flor no homem e no fruto
Se nada adoecer a própria forma é justa
E no todo se integra como palavra em verso
Sei que seria possível construir a forma justa
De uma cidade humana que fosse
Fiel à perfeição do universo

Por isso recomeço sem cessar a partir da página em branco
E este é meu ofício de poeta para a reconstrução do mundo

Sophia de Mello Breyner Andresen, in "O Nome das Coisas"

A foto é da minha amiga Sandra

Sem comentários: