domingo, 6 de fevereiro de 2011

Hoje recebi malmequeres


Hoje recebi e enviei malmequeres da minha/nossa serra... É domingo e está um sol quentinho que me aquece o olhar, o coração e a vida.
Vou caminhando mesmo quando e sobretudo... se me sinto menos entusiasmada ou talvez desiludida...
Continua em mim um sorriso mesmo que ligeiro mas sincero, para que não restem dúvidas de que me sinto muito amada por Deus.

Deixo um poema:

Como a terra é necessária.
Como o fogo sustentas os lares.
Como o pão és pura.
Como a água de um rio és sonora.
Hoje, alegria, encontrada na rua,
longe de todo o livro, acompanha-me:
contigo quero ir de casa em casa,
quero ir de aldeia em aldeia,
de bandeira em bandeira.
Não és só para mim.
Às ilhas iremos, aos mares.
Contigo pelo mundo!
Com o meu canto!
Com o voo entreaberto da estrela,
e com o regozijo da espuma!
Vou cumprir com todos
porque devo a todos a minha alegria.
Não se surpreenda ninguém porque quero
entregar aos homens os dons da terra,
porque aprendi lutando
que é meu dever terrestre
propagar a alegria.
E cumpro o meu destino com o meu canto.

Pablo Neruda

1 comentário:

Maria de Fátima disse...

Um olá duplo,das manas Rabaça, a partir do computador da mana mais velha... que está aqui a dizer-me que gosta muito de ti! Jinhos, Fatinha e Paula