segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

É pelo sonho que vamos


Deixo um texto bonito e também uma foto de "sonho": a minha querida sobrinha Joaninha.


Pelo sonho é que vamos, como escreveu o poeta Sebastião da Gama.
É o sonho que comanda a vida, como escreveu outro poeta. Na verdade é o sonho que nos guia e é pelo sonho que, muitas vezes, conquistamos mais do que aquilo de que nos imaginávamos capazes.

Sonhar é bom. Faz bem à alma, alimenta o espírito e dá cor aos dias. Sonhar é um direito universal e, diria mesmo, um dever de todos nós. Faz falta sonhar. Uma pessoa incapaz de sonhar é como um jardim onde as flores não conseguem crescer.
Quem já não consegue sonhar com nada está mesmo sem saber, à beira do abismo. Desistiu, desacreditou, desarmou. Baixou os braços e ficou à mercê dos sonhos (diria pesadelos) dos outros. Entregou-se em vida. Rendeu-se sem honra nem glória. Perdeu o norte.
Sonhar com dias melhores, com outra vida, uma viagem, um amor ou o que quer que seja é uma maneira de gostar mais de nós próprios e dos outros. Sonhar é quase sinónimo de acreditar e quem acredita, consegue. Quem procura, encontra.
Quando falo em sonhar quero dizer sonhar acordado, no sentido em que desejamos muito uma coisa. Em que acreditamos que somos capazes de a conseguir.
Não se trata dos sonhos que não controlamos e nos povoam as noites. Esses pertencem ao domínio do inconsciente e é nesse registo que devem permanecer. Falo dos sonhos que nos alimentam, dão força e alento para seguir em frente.
Sonhar que um dia havemos de ser alguém pode parecer um sonho banal ou infantil mas não é bem assim. Há muitas maneiras de «ser alguém» e no dia em que encontramos aquela que mais nos convém sentimo-nos realizados porque cumprimos um sonho.
Por cada sonho tornado realidade fazemos uma conquista interior. Crescemos quando o sonho nos faz alinhar com a nossa natureza mas aprendemos quando o sonho é desmedido e não foi talhado à medida das nossas necessidades reais. Acredito que Alguém (que para mim é Deus, mas para outros pode ser aquilo em que acreditam) gere um tempo que não é o nosso tempo e dá uma ordem às coisas que nem sempre conseguimos entender. É esse Alguém que se encarrega de nos ampliar os sonhos sempre que estão de acordo com aquilo que verdadeiramente necessitamos para o nosso crescimento interior mas, por outro lado, é capaz de nos dar sinais inequívocos de que estávamos a sonhar demasiado alto. Ou demasiado baixo.
Não há, por isso, que ter medo de sonhar. Aquilo que estiver cá para nós, há-de vir parar às nossas mãos enquanto aquilo que desejamos em excesso nos há-de escapar sempre, até percebermos que estamos a sonhar errado. Assim sendo e sem presunção mas com muita convicção, atrevo-me a fazer minhas as palavras de Sebastião da Gama. É pelo sonho que vamos!

in Xis ideias para pensar de Laurinda Alves

1 comentário:

Celeste disse...

Alice conheci o seu blogue através de uma amiga comum,a Paula,e so queria dizer-lhe que continue a alimentar os seus e nossos sonhos!
Obrigada pelas suas partilhas
"É pelo sonho que vamos!"
Celeste